TJDFT passa a usar o SEI 4.0 em seu sistema de processos administrativos

A nova versão traz uma série de benefícios que tornarão o uso do sistema mais ágil e com novas possibilidades

TJDFT
06/02/2023

A partir desta segunda-feira, 6 de fevereiro, o Tribunal de Justiça do Distrito Federal e dos Territórios (TJDFT) passa a usar a versão mais atualizada do Sistema Eletrônico de Informações, o SEI 4.0. 

A nova versão traz uma série de benefícios que tornarão o uso do sistema mais ágil e com novas possibilidades.

Conforme explica o 1º Vice-Presidente do TJDFT, Desembargador Ângelo Passareli, “essa nova versão do SEI torna-o mais versátil, moderno e funcional, inclusive para uso por meio de celulares, sem a necessidade de instalação de aplicativos”.

O sistema SEI foi implantado no TJDFT em 2016 para atuar na tramitação de procedimentos administrativos e outras atividades relacionadas à gestão de documentos eletrônicos.

O Desembargador Ângelo Passareli ressalta que a tela de Painel de Controle disponibilizada, por exemplo, é uma inovação que proporciona aos gestores e usuários do SEI uma nova forma gerir os processos que se encontram na unidade. “Ainda sobre a gestão dos processos, é possível incluir vários marcadores em um único processo e a evolução da funcionalidade do bloco de assinatura, que  agora permite atribuir o bloco a um usuário da unidade, além de poder agrupá-los”, relata.

Para agilizar a assimilação das novas funcionalidades, o TJDFT promoveu um webinar para magistrados(as) e servidores(as), na sexta-feira, 3 de fevereiro, no qual foram apresentadas as novidades trazidas pelo SEI 4.0. A Secretaria de Tecnologia da Informação (SETI) disponibilizou também para o público interno uma página com manuais e tutoriais para consulta rápida e esclarecimento de dúvidas.

“Não se pode deixar de mencionar que a disponibilização do SEI 4.0 decorreu, em grande medida, do empenho e dedicação de diversos setores e servidores do Tribunal, em especial do incansável trabalho dos servidores da  Coordenadoria de Sistemas da Primeira Vice-Presidência (COSISP)”, assegura o desembargador.