CNJ abre ação contra juíza que postou fake news sobre Marielle e a chamou de “cadáver comum”

A magistrada usou sua rede social para atacar a vereadora do Rio de Janeiro assassinada na última quarta-feira (14) Congresso em Foco 21/03/2018 O Conselho Nacional de Justiça (CNJ) decidiu abrir ação para investigar a desembargadora Marilia Castro Neves, do Tribunal de Justiça do Rio de Janeiro (TJ-RJ), por texto postado no Facebook em que a magistrada classifica a vereadora Marielle Franco, assassinada…

Continue lendo...