Fórum e Frente em Defesa do Serviço Público lançam novos cadernos da Reforma Administrativa

Nesta quinta-feira, o evento online será transmitido pelo Facebook e o YouTube do Fonacate, com debate sobre as propostas do governo e do parlamento para alterações legais que atingem o funcionalismo. Correio Braziliense / Blog do Servidor 17/08/2020 O Fórum das Carreiras de Estado (Fonacate) e a Frente Parlamentar Mista em Defesa do Serviço Público lançam oficialmente, nesta quinta-feira, 20, dois novos cadernos da Reforma Administrativa. O evento online será transmitido pelo Facebook e o YouTube do Fonacate, na quinta-feira, 20 de agosto, a partir das 16h30 Desde 2019 o governo federal fala em enviar uma proposta de reforma da Administração Pública para o Congresso Nacional. E desde então, o Fórum tem preparado diversas notas técnicas, estudos e propostas sobre…

Continue lendo...

CNMP aumenta suspensão de promotor por comentário racista no Facebook

O promotor de Justiça Rogério Zagallo escreveu na rede social insultos considerados preconceituosos contra uma desembargadora do Tribunal de Justiça do Amazonas, ao afirmar que ela tem cara de empregada doméstica. Ela foi acusada de ter ligações com uma facção criminosa. CONJUR23/04/2019 O Conselho Nacional do Ministério Público suspendeu o promotor de Justiça de São Paulo Rogério Zagallo por 30 dias por causa de seus comentários racistas no Facebook. Ao compartilhar notícia sobre uma desembargadora, disse que ela tinha cara de empregada doméstica. A decisão é desta terça-feira (23/4). No entendimento do CNMP, Zagallo violou regras da Lei Orgânica do Ministério Público. Venceu o voto do relator, o conselheiro Luís Fernando Bandeira de Mello. A punição original do MP de São…

Continue lendo...

CNJ abre ação contra juíza que postou fake news sobre Marielle e a chamou de “cadáver comum”

A magistrada usou sua rede social para atacar a vereadora do Rio de Janeiro assassinada na última quarta-feira (14) Congresso em Foco 21/03/2018 O Conselho Nacional de Justiça (CNJ) decidiu abrir ação para investigar a desembargadora Marilia Castro Neves, do Tribunal de Justiça do Rio de Janeiro (TJ-RJ), por texto postado no Facebook em que a magistrada classifica a vereadora Marielle Franco, assassinada a tiros na última quarta-feira (14), de “cadáver comum” e a acusa de engajamento com bandidos. A abertura do processo é uma resposta ao pedido protocolado no CNJ pelo Partido Socialismo e Liberdade (Psol). “Diante das recentes notícias veiculadas em meios de comunicação sobre manifestações públicas da desembargadora do Tribunal de Justiça do Rio de Janeiro (TJRJ), Marília Castro Neves, a respeito…

Continue lendo...