“Sobreposição” e o risco de REAJUSTE ZERO para Analistas

Artigo de opinião

Prezados colegas Analistas, boa tarde.

Utilizo-me desse meio para alertá-los da iminente movimentação sindical ora em curso, que, ao fim, poderá trazer graves prejuízos financeiros para todos e até mesmo extinção do cargo de Analista Judiciário.

Como dito, já há alguns anos, havia uma declarada intenção de se alterar o requisito de escolaridade para ingresso no cargo de técnico judiciário, em propostas lançadas nas mais diversas associações e sindicatos do PJU e MPU .

Por trás dessas intenções, nos bastidores, falava-se em diminuir “o fosso” existente entre técnicos e analistas, interpolação de tabelas, previsão de recomposição salarial menor para analistas e até mesmo “congelamento” salarial.

A exigência de nível superior para ingresso no cargo de técnico judiciário foi recentemente obtida por meio de uma emenda (jabuti) em projeto de reposição salarial (embrião da Lei 14.456/2022).

Apesar de a emenda (jabuti) ter sido vetada, e apesar da evidente inconstitucionalidade, o veto foi derrubado, e permanece o lobby sindical em torno das ações questionando a inconstitucionalidade da Lei 14.456/2022, com o fim de evitar questionamentos judiciais à lei em questão.

Atualmente, no âmbito de associações e sindicatos, discutem-se novas propostas salariais, todas extremamente negativas para Analistas Judiciários.

Fala-se, abertamente e às claras, em novas propostas de tabela, nas quais a remuneração dos analistas sofreria correção mínima, quando não nula, de forma a se equiparar “o fosso” entre cargos. Fala-se em extinção e absorção do cargo de Analista Judiciário, seja por meio do mais completo abandono, seja por meio da denominada “carreira única”.

Por esses motivos, e por verificar que associações e sindicatos em geral, estão com evidente intenção de trazer prejuízo para um cargo específico, fica o alerta para todos. Ajamos, antes que seja tarde, pois a omissão no trato com questões associativas e sindicais, a inexistência de um lobby organizado dos Analistas Judiciários frente à existência de outros lobbies consolidados, certamente será prejudicial e catastrófica para todos – longos anos de congelamento salarial ou aumento mínimo, com o fim de beneficiar outros cargos, além de possível extinção.

Para começar a agir, a filiação a associações específicas como a ANAJUS fortalece a todos, com mensalidades significativamente menores, e atribui maior legitimidade à associação que ao longo do tempo vem contribuindo, a seu modo, para a valorização e o reconhecimento dos Analistas.

SEFS. Brasília/DF. 17.11.2023