Reforma administrativa não pode perseguir servidor, diz Baleia Rossi

O parlamentar afirmou também que será necessário maior empenho do governo do que do Parlamento para aprovação

METRÓPOLES
MARCELO MONTANINI
28/01/2021

O candidato à presidência da Câmara dos Deputados Baleia Rossi (MDB-SP) afirmou, nesta quinta-feira (28/1), que a reforma administrativa necessita de maior empenho do governo do que do Parlamento para aprovação. E destacou que a reformulação não pode ser centrada na perseguição do funcionário público. Ele, todavia, não deu qualquer prazo para pautar a matéria.

“Não podemos discutir reforma administrativa como ponto central perseguir funcionário público. Tivemos nessa pandemia a quebra de alguns preconceitos, em defesa do SUS [Sistema Único de Saúde]. Muito questionavam o SUS, criticavam o SUS e chegaram a falar em privatização do SUS, que é um absurdo completo”, disse Rossi a jornalista.

“Acho que a Câmara Federal precisa de uma reforma administrativa para que tenha mais recursos nas atividades fins que são saúde, educação e segurança. Mas a reforma administrativa depende muito mais do empenho e convicção do governo do que do Parlamento”, acrescentou.

Para ler a notícia na fonte, clique AQUI.