Dia da Justiça foi ‘comemorado’ em atos contra a PEC 32

Manifestantes ressaltaram a retirada de pauta da Reforma Administrativa; a compra de votos no Congresso foi denunciada com a distribuição de ‘cédulas’ em frente da Casa do presidente da Câmara, Arthur Lira

Anajus Notícias
9/12/2021

Servidores do Judiciário e do Ministério Público da União e de outras categorias do serviço público protestaram mais uma vez nesta quarta-feira, 8 de dezembro, Dia da Justiça, contra a Proposta de Emenda Constitucional (PEC) 32/2020.

As manifestações fazem parte das atividades do Dia Nacional Protestos contra a ‘reforma’ administrativa, que contou com atos em todo o país.

Nos protestos, servidores dialogaram com a população sobre os impactos da ‘reforma’ nas vidas das brasileiras e brasileiros, entre eles a redução do atendimento derivada da autorização que a PEC traz para diminuir em até 25% a jornada e os salários dos servidores públicos.

Os manifestantes também ressaltaram a vitória da unidade dos trabalhadores e movimentos sociais que conseguiram impedir a votação da ‘reforma’ ao longo deste ano.  Eles alertaram que o governo não vai desistir da iniciativa e pretende repor a proposta logo após as eleições gerais de 2022.

Greve geral

Por isso, as entidades dos servidores estudam preparar para o próximo uma greve geral para sepultar de vez a proposta do governo. Esse foi um dos pontos cogitados, por exemplo, durante ato promovido em frente da residência oficial do presidente da Câmara, Arthur Lira (PP-AL).

Com ‘cédulas’ com as faces de Lira e Paulo Guedes (ministro da Economia) e um display imitando um trator, os servidores denunciaram o esquema de compra de votos no Congresso com base nas emendas do relator — o chamado orçamento secreto.